Arquivo da tag: rockfeller center

Fomos ver Nova York

Fomos ver Nova York! A capital do mundo! A metrópole das metrópoles!

Conhecer NYC era um sonho, e quando a oportunidade de viajar junto de uma amiga querida surgiu, já que a companhia de viagem dela não pode mais ir, comprei a passagem e arrumei as malas!

Após 9horas de voo, cheguei ao aeroporto de JFK NY, passada a imigração e esperar bastante pelas malas a tarefa era, como chegar do aeroporto ao Brooklyn (sim, nossa hospedagem seria no Brooklyn num quarto alugado pelo site Airbnb, sobre o site a o apartamento falo mais abaixo).

Do aeroporto JFK existe um trem chamado AirTrain  que liga o aeroporto a rede de metrô. Para embarcar na estação do seu terminal no aeroporto não precisa comprar bilhete, mas quando for fazer a transferência para o metrô, terão máquinas automáticas onde comprar o bilhete do metrô U$ 2,25 + bilhete do Airtrain U$ 5,00 (em maio 20120) – já se compra uma tarifa com tudo junto por U$ 7,25

Agora era parar e analisar a gigante rede de metrô de NYC e descobrir as direções, a estação próxima ao destino… 1:30h depois, pegando um metrô expresso* e passando 5 estações de onde devia parar cheguei a minha casa no Brooklyn!

*Preste atenção, pois nas linhas de metro de NYC, que são divididas por letras e números, existem os trens expressos que só param em algumas estações e os locais, que param em todas as estações!

Ficaríamos uma semana hospedados num prédio onde funcionou um antigo hospital judeu, e hoje passou por um retrofit e foi divididos em apartamentos tipo lofts, o nosso no último andar, tinha um terraço, os famosos roof tops, com direito a espreguiçadeiras, churrasqueira e uma incrível vista para Manhattan!

Nossa rua no Brooklyn

Os donos do apartamento foram extremamente simpáticos e atenciosos, já tinham chave extra para nós, nos mostraram toda a casa (que era limpa e condizente com as fotos do site), nos passaram informações sobre como separar o lixo, sobre uso da cozinha e nos levaram ao supermercado local para comprar nossas coisas.

Sobre a experiência de alugar um quarto na casa de um desconhecido pelo site Airbnb foi super tranquilo! Passada a fazer de escolher o local, vendo milhões de fotos, lendo o que outras pessoas falam do local e analisando tudo com a localização do mapa, a comunicação com o site foi perfeita. O pagamento é feito direto para o site e o site paga ao dono da casa, eles nos enviaram comprovante de pagamento e comprovante de hospedagem em papel timbrado via e-mail, caso a imigração solicitasse, passaram o contato e Facebook do dono do apartamento que se comunicou com a gente, explicou como chegar do aeroporto até a casa, e claro, o preço foi super super mais barato que ficar em um hotel!

Dia1:

Após chegar e nos acomodarmos no apartamento alugado, era hora de fazer um reconhecimento das redondezas da nossa casa por 7 dias, estávamos numa das áreas mais valorizadas do Brooklyn para morar, não era a área cool-moderninha de Williamsburg, e sim a área chic perto do Prospect Park, Jardim Botanico do Brooklyn e do Brooklyn Museum. Foi bacana ficar nesta área do Brooklyn, pois pudemos ver e viver um pouco do dia-a-dia local, mas estando pela primeira vez em NYC foi ruim, porque estávamos a mais ou menos 50min de metrô de Manhattan, onde se concentram a atrações turísticas de NYC.

Prospect Park / Brooklyn

Prospect Park / Brooklyn

A noite chegou e era hora de conhecer Manhattan, e resolvemos fazer a primeira parada na mundialmente famosa Times Square! Pode-se dizer que o centro turístico de NYC, e o centro mágico com seus mega telões passando mil vídeos e informações a cada segundo, tudo brilha, tudo chama atenção! Uma mistura de desespero e emoções!

Times Square

Seguimos pela região atrás das famosas barraquinhas de HotDog, rodamos por um trecho da 5ªavenida, passamos pelo Rockfeller Center, onde a pista de patinação no gelo ainda estava montada, comemora uma sopa horrorosa num restaurante pela região e voltamos para casa!

Ed. Rockfeller Center

Pista de Patinação / Rockfeller Center

Radio City Music Hall

Dia2:

Seguimos em direção a UpperEastSide, a área mais chic de NYC para visitar o Museu Guggenheim, o prédio em si deste museu já é incrível e a coleção de arte contemporânea que visitamos pelas galerias em forma de espiral fazem desse um dos passeios imperdíveis de NYC.

Museu Guggenheim

Cúpula interna / Guggenheim Museum

Do Guggenheim, seguimos pela 5ªAvenida, nesta região, de frente ao Central Park, só existem prédios residencial, cada um com seu porteiro elegantemente trajando uma espécie de fraque e cap para abrir a porta para os moradores, até chegarmos ao Metropolitan Museum of Art

O MET foi fundado em 20 de fevereiro de 1820, é hoje um dos maiores e mais importantes museus do mundo e abriga uma importante coleção de pintura europeia dos séculos XII-XX e obras da arte antiga (grega, romana, egípicia e assírio-babilónica) e oriental. Prepare-se para um museu gigante e com muitos turistas!

Metropolitan

Metropolitan

*antes ou depois de visitar o museu, sente-se na escadaria em frente, e perca um tempo vendo os new yorkers passarem, além de pessoas do mundo todo que estarão chegando e saindo do museu, vale a pena!

Do MET cruzamos por dentro do belíssimo CentralPark para o lado West, até a frente do Edifício Dakota, onde morou Jonh Lennon, em frente ao prédio, dentro do CentralPark, existe um local chamado Strawberry Fields, que é um memoril no local da morte do Jonh Lennon.

Central Park

Central Park

Logo ali do lado, existe o Museu de História Natural que só visitamos o foyer, afinal, e outro museu gigante e que o conteúdo não muito nos interessava, mas se você estiver viajando com crianças, não deixe de fora do seu roteiro, vão adorar os dinossauros e toda a história da evolução humana!

Dinossauros / Foyer MHN

Como NYC é uma cidade plana, caminhar por ela é a forma mais fácil, simples e deliciosa de se conhecer a cidade, e assim terminamos nosso dia, caminhando em direção a Midtown, até novamente o Rockfeller Center para comer o melhor cupcake e bolo de caramelo do mundo na Magnolia Bakery

Bolo Caramelo / Magnolia Bakery

Devorando o Bolo Caramelo

Os melhores CupCakes do Mundo!

Dia3:

O destino inicial era visita o Monumento 9/11 – o memorial aos mortos no 11 de Setembro – para a visita é necessário comprar o ticket com antecedência pelo site http://www.911memorial.org  e levar os tickets impressos!

Memorial 11Setembro

Memorail 9/11 – Piscinas que marcam a posição das torreres do World Trade Center

Ao fundo o edifício que está sendo construído no complexo do antigo World Trade Center

Como o memorial fica em downtown, a região financeira de Manhattan, demos uma passada pela famosa Wall Street onde ainda estava ocorrendo o movimento “Ocupe WallStreet”

Wall Street

O segundo destino era visitar o Empire States building e realizar o sonho de chegar até o andar 102 e ver a BigApple lá de cima!

Empire States Building

Para visitar o Empire States reserve tempo, pois só para chegar até o topo foram quase 2 horas de fila! Primeiro é a fila para passar no detectador de metais, depois para comprar o ingresso, depois para pegar o elevador até o andar 80, depois para pegar o outro elevador até o andar 86 onde tem o primeiro deck de observação!

Escadas entre andar 80 e 86

Ufa! A espera é tanta que quase dá para chegar lá em cima subindo de escadas, falando em escadas, fique espero, pois do andar 80 para o 86 eles liberam subir e descer de escadas, o que é mais rápido que esperar a fila do elevador, mas também mais cansativo…No andar 86 você compra o ticket para ir até o andar 102, dependendo das condições climáticas o último andar pode estar fechado para visitação.

Up to 102floor

Vista 102 andar

Na mesma rua do Empire States fica a Macy’s a gigante loja de departamento que com seus 7…9 andares! É grande, é cheia, tem de tudo e mais um pouco, mas me concetrei somente em chegar no seção de underwear para comprar cuecas CalvinKlein e meias. Dalí o destino foi a 5ªAvenida para fazer um fim de tarde de compras nas básicas Uniqlo, Gap, H&M, Zara e afins, afinal, em toda boa viagem o roteiro compras faz parte!

Dia4:

Era sábado, e o dia começou com um longo e delicio brunch com amigos brasileiros que moram em NYC, o local escolhido, foi o Nice Matin, uma casa francesa com mesinhas na calçada, onde perdemos do meio da manhã até o início do meio da tarde em uma deliciosa conversa e muitos Espressos Martin!

Espresso Martini no Nice Matin

De lá seguimos para um roteiro bem não usual ao turista conversional que geralmente não passa da rua 96, fomos até a rua 190 para visitar o The Cloisters  que é um segmento do Metropolitan Museus, porém dedicado a arte medieval. Se eu indico a algum amigo visitar? Só se tiver tempo sobrando, eu num tinha tempo sobrando, mas fui com boa companhia, então valeu a pena!

Jardins / The Cloisters

Museu / The Cloisters

Do topo do Upperside, descemos direto ao Soho, nada como uma boa rede de metrô, para visitar o incrível New Museum outro museus com uma super coleção de arte contemporânea, e para mim, arquiteto, só o prédio já vale a experiência!

New Museum

Do lado do NewMuseum existe um supermercado chamado WholeFoods, existem várias unidades pela cidade, este supermercado é dedicado a comida orgânica, ali compramos nosso jantar e fomos para casa cozinhar!

Dia5:

Domingo, dia de começar o dia bem relaxado, e nada melhor que um ótimo café da manhã, e o ótimo café foi dentro do CentralPark, na tradicional casa belga (que agora já tem filial em SP) Le Pain Quotidien, uma cesta de pães orgânicos, geleias frescas e salada de fruta e uma vista linda para o parque, nada melhor!

Le Pain Quotidien / Central Park

Como turista não tem muito tempo a perder, do café-da-manhã fomos direto ao MoMa Museu of Modern Art e se gosta de excelentes exposições de arte moderna, se gosta de um museu incrivelmente lindo, reserve um bom tempo e visite o MoMa com calma! E na saída, não deixe de passar pela lojinha do museu com muitas coisas incríveis, vontade de comprar tudo!

MoMa

MoMa / Jardins

Do MoMa fomos para uma das regiões mais bacanas de NYC, quase sem atrativos turísticos, você só vai encontrar os locais, mas também irá descobrir lojas e restaurantes e galerias de arte que só quem vive por ali sabe!

A primeira parada foi no Chelsea, uma região que hoje concentra as galerias de arte moderninhas que migraram do Soho para esta região, que também é uma das áreas gays de NYC, por ali almoçamos no Chelsea  Market, uma espécie de shopping destinado a gastronomia, com várias lojas de utensílios  para cozinha e claro vários restaurantes de todo tipo de comida, mas do tipo compre aqui e coma ali no meio do corredor ou no meio da rua, sem luxo e sem frescura.

Chelsea Market

Do Chelsea Market chega-se a o Meatpacking District , o nome vem do fato de a área ter sido ocupada por matadouros e fábricas de processamento e embalagem de carnes; por ali funcionava o Gansevoort Market. Nos anos 80, o Meatpacking era um antro de clubes de sexo e prostituição de rua (sobretudo travestis). Mas nos anos 90 começou a invasão de butiques de grife, hotéis de luxo e restaurantes difíceis de conseguir reserva. Hoje o lugar tem o comércio de rua mais chique da cidade abaixo da 5a. Avenida com rua 57. Applemaníacos e iPhônicos em geral vão gostar de saber que na esquina da rua 14 com 9a. Avenida está instalada uma Apple Store maior e mais organizada que a da 5a. Avenida.

Por ali existe o High Line que é um parque feito em uma linha de trem abandonada, fica a 18m acima do nível da rua e vale o passeio e apreciar a linda vista do rio Hudsson.

Passeio pelo HighLine

Standard Hotel atravessa por cima do HighLine

Dia6:

Foi o dia destinado a compras! A primeira parada foi na Bleecker Street no Village, esta rua é muito bacana, vale percorrer ela toda, é uma mistura de lojinhas desconhecidas com lojinhas de grifes famosas(sim é tudo lojinha, pois esta região está se tornando uma região imobiliária muito valorizada, logo o m² é very expensive!) O atendimento é melhor que o das lojas da 5ªAvenida, mais calmo e personalizado, o publico que frequenta é misturado, não tem tantos turistas e você acha desde coisas simples, baratas e bacanas, até os nomes badalados Ralph Lauren, Michael Korns, Mulberry, Marc Jacobs (esse tem loja masculina, feminina e infantil – tudo seprarado e espalhado pela rua) entre outras.

Da Bleecker descemos pela Broadway em direção ao coração do Soho para chegar novamente nas lojas de sempre H&M, Zara, TopShop, Urban Outfitters e dalí penetrar pelas ruazinhas do Soho a procura de novas lojinhas e de novidades…

Resultado do Shopping Day

Dia7:

Era o dia de vir embora, só deu tempo de ir até o Jardim Botânico do Brooklyn, que era do lado do nosso apartamento e visitar o belíssimo Jardim das  Cerejeiras que estavam incrivelmente floridas! E como tudo que está do lado a gente deixa para depois, não deu tempo de ir no Brooklyn Museu que estava pertinho de nós…

Jardim Botânico do Brooklyn

Alameda das Cerejeiras

E lá se foram 7 dias em NYC … Agora é fazer tudo de novo, metrô + Airtrain + 9horas de voo até SP!

Dicas úteis:

Geografia:

  • Manhattan se divide em Uptown (ao norte) // Midtown  (centro) // Downtown (ao sul)
  • É importante se localizar desta forma, pois as referencias do sentido do metrô são essas! Mas é fácil se achar, pois as ruas começam na numeração baixa em Downtown e vão subindo conforme se vai caminhando para o norte.

Metrô:

  • Compre o MetroCard de 7 dias, que custa U$ 29 (maio2012), com este você pode utilizar metrô e ônibus quantas vezes por dia quiser durante os 7 dias! É útil, pratico e barato, caso contrário a cada trecho terá de pagar U$ 2,25
  • Observe os trens expressos – que só param em algumas estações e os trens locais – que param em todas as extações.
  • Quando o trem estiver chegando, antes de embarcar,  leia na placa do trem o destino/linha e se é expresso ou local, pois numa mesma plataforma podem passar linhas diferentes.
  • O metro é eficiente e te leva em todos os lugares, mas não se assuste é feio sujo e no verão extremamente quente! Diz que não é bom ficar encarando e/ou tirando foto dos usuários, a não ser que esteja tocando alguma música ou fazendo algum tipo de apresentação (bem comum nas estações), mas se fotografou, dê uma moedinha depois!
  • É comum se perder no metrô, principalmente nas primeiras vezes que for usar, até dominar todo o processo, e não se sinta mal, os próprios nova iorquinos se perdem também.

Taxi:

  • Existe uma separação de acrílico entre o motorista e o passageiro, não é proibido andar no banco da frente, mas não é comum, a não ser que se esteja em 4 pessoas

Gorjetas:

  • Em NY é comum deixar de 15 a 20% de gorjeta no restaurante e no taxi
  • Se for pagar a conta do restaurante no Cartão de Crédito, primeiro eles passam o cartão, depois vem a mesa a nota para você incluir o valor que deseja dar de gorjeta e assinar
  • Não é comum e eles não gostam de dividir a conta passando um tanto em cada cartão de crédito, se estiver em grupo ou divida e pague tudo em dinheiro, ou é melhor um pagar no cartão e as outras pessoas darem o dinheiro para o dono do cartão

Onde comer:

  • Comida rápida, do tipo que se compra na vitrine e vai comer no banco da praça – bom para o almoço,do tipo bom e barato

– Pret a Manger: tem várias lojas espalhadas pela cidade / http://www.pret.com/us

– Le Pain Quotidien: também tem várias lojas pela cidade, a mais charmosa fica dentro do CentralPark http://www.lepainquotidien.us

– Barraquinhas de Hot Dog, comida mexicana, comida árabe, tem sempre uma em alguma esquina, compre seu lanche e vá comer em algum banco de praça

  • Restaurantes:

– Nice Matin: restaurante em Upper West Side – mistura de Frances com AmericanFood – gostoso para brunch de final de semana http://www.nicematinnyc.com/

– Minetta Tavernny – no GreenVillage, tradicional restaurante desde 1937, bom para jantar – imprescindível fazer reserva http://www.minettatavernny.com/

  • Doces Incríveis:

– Magnolia Bakery – tem 5 lojas pela cidade, veja a mais perto de você e não perca http://magnoliabakery.com/find_us_new_york.php

Free Wi-Fi:

  • Não é todo lugar que tem free wi-fi em NYC, mas em todo Starbucks tem! No primeiro acesso tem de fazer um rápido e simples cadastro, depois é só entrar ou parar na porta e usar o acesso, até quando a loja está fechada o sinal continua funcionando, dá para usar da calçada!

Compras:

  • 5ª Avenida – entre 58 e 49 – lojas de grifes, joalherias e populares Gap, Zara, H&M, tudo junto e com muitos turistas
  • Apple Store – vale ir só para ver a loja e o formigueiro humano que parece ser! 5ªAvenida com 58 – em frente fica o famoso Hotel Plaza
  • FAO Schwarz (em frente a Apple) loja enorme de brinquedos – onde tem o teclado gigante que se toca pulando em cima do filme “Curtindo a Vida a Doidado”
  • Macy’s  e Bloomingdale’s – gigantes e tradicionais lojas de departamento, acha-se de tudo
  • Sack’s e Berdgof Goodman – elegantes e chic lojas de departamento
  • Broadway Street na regiçao do Soho – mix de lojas tipo Zara, TopShop, Urban Outffiter e lojas de grife
  • Bleecker Street – Village/Soho – lojas bacanas e lojas de grife
  • Williamsburg – Brooklyn – novos estilistas e lojas descoladas
  • Brechó – Beacon’s Closet – um dos maiores de NY http://www.beaconscloset.com/