Arquivo da tag: Itália

2 últimos dias em Roma

Sabe aquela história “quando se mora na frente do mar, nem se abre a cortina para apreciar a vista, porque sabe que o mar está alí todo dia”, e assim foi com agente, todo dia quando saíamos do hotel passavamos na frente de um grande igreja e sempre deixavamos para depois, e hoje entramos, e surpresa, Santa Maria Maggiore é belíssima !!

Fachada Santa Maria Maggiore

 Com uma mistura de estilos arquitetônicos, apresenta 3 naves, um piso todo em mármore decorado e um teto onde ouro não faltou!

Santa Maria Maggiore - interior

No vídeo interior de Santa Maria Maggiore com ensaio ao som do coro !

E se quiser se confessar, tem opção de fazer em várias linguas !

E mais uma vez o destino foi, andar sem destino e descobrir novidades, monumentos e ruínas perdidas pela cidade. Então vem passear com agente pelas fotos…

Fórum Romano

Coliseu, dessa vez de dia !

 

Cheerleaders no Coliseu, oi ??

 

Arco de Constantino

Fachada do Pantheon

Interior Pantheon - cúpula + óculo aberto para entrada de luz

 

Area Sacra, ruínas do templo circular B

Fachada do Templo Adriano

Ilha Tiberina (isola) no meio do rio Tevere

E assim foi nossos 2 últimos dias em Roma, agora é arrumar as malas e mudar de continente para o Ano Novo, sim, mudar de continente, aguarde e verá qual o próximo destino!

Anúncios

O Império do Vaticano!

A cidade do Vaticano, capital da igreja católica é o menor Estado do mundo, ocupando apenas 430 mil metros quadrados, cercado por grandes muralhas e governado pelo papa que é o único monarca absoluto da Europa.

Seus habitantes são poucos, por volta de 500 e suas acomodações são apenas para os religiosos e funcionários, mas o número de turista que visitam o vaticano diariamente ultrapassa os 15 mil.

Multidão de fiéis e Turistas para entrada no Vaticano

Mesmo estando dentro de Roma, o funcionamento da cidade é completamente independente e possui o seu próprio correio, banco, moeda, sistema judiciário, lojas, jornal e uma rádio que transmite sua programação diária em 20 idiomas!

Ao entrar  na Praça de São Pedro é impossível não ficar impressionado com a beleza e a arquitetura imponente do Renascimento e do período barroco, a maioria dos grandes arquitetos e pintores da época contribuiram para a construção da Basílica de São Pedro que se tornou o mais famoso e importante santuário da igreja católica.

Praça de São Pedro

Fila aqui é algo obrigatório para visitar qualquer um dos monumentos, com sorte você pode ficar  aproximadamente 40 minutos, em dias mais tumultuados o tempo pode chegar a 2 horas, lembrando que para tudo você passa no detector de metais e revista de segurança se necessário.

Fila para entrada na Basílica.

A Basílica coberta de mármore abriga obras valiosas de artistas da época onde é possivel subir 537 degraus e visitar   o alto do Duomo (7 euros), feito por Michelangelo (que na verdade morreu antes de terminá-lo). Ainda é possivel visitar na parte inferior as Grutas onde diveroso papas estão enterrados.

Basilica de São Pedro

Basílica de São Pedro

Basílica de São Pedro

Desenbolsando mais 15 euros para aumentar a riqueza da igreja católica você consegue visitar o museu do Vaticano onde se encontra a capela Sistina e um conjunto de pequenos museus como as salas de Rafael que abriga um dos acervos de arte mais importantes do mundo.

Museu do Vaticano

A nossa impressão do museus é que parecia um grande Shopping cheio, com muitas pessoas, lojas de suvenirs e livrarias, da bilheteria até chegar a capela Sistina andando rápido você demora no minimo 30 minutos, um grande labirinto cheio de sobe e desce,   com obras de arte maravilhosas em suas paredes.

escada em caracois na saída do museu

A maior concentração de pessoas estava na capela Sistina, era quase impossivel andar por ali,  todas as pessoas paradas olhando para o teto e apreciando a pintura de Michelangelo (entre 1508 e 1512), que conta em seus principais painéis a criação do Mundo e a expulsão do homem do paraíso e estão cercados por imagens do novo e velho testamento.  Na capela fotos são proibidas!

Dias de Roma

Assim como no Brasil 25 de Dezembro é feriado na Itália, mas aqui também é feriado dia 26 de Dezembro, dia Santo Stefano, desta forma o final de semana inteiro foi feriado, dias de comercio fechado e ruas vazias, bem, vazias de romanos, mas lotadas de turistas !

Aproveitando as pausas da chuva ou de baixo de muita chuva, agente também saiu para engrossar a turmas dos com mapa na mão (era assim em toda as esquinas, pessoas com mapa e cara de interrogação procurando a direção correta) e fomos conhecer mais um pouco de Roma, mas foi só um pouco mesmo porque ficar andando na rua com chuva é muito chato: segura guarda-chuva com uma mão, o mapa com a outra, e tira foto fugindo dos pingos de chuva e vento+frio…

De qualquer forma conseguimos nos divertir e encontrar na Piazza Navona uma feira bem divertida, o Mercatino di Natale, praticamente uma quermersse, só não era ligada a nenhuma igreja, mas tinha as barraquinhas dos jogos: argola, tiro ao alvo, boca do palhaço, tinha as barraquinhas de comida, tinha as barraquinhas vendendo itens de Natal e atrativos as crianças e claro, um lindo carrosel no meio da praça e nesse, diferente de outros que já encontramos aqui na Itália, adulto podia brincar também, fichas na mão, lá fomos nos !

Mercatino di Natale - Piazza Navona

 

Carrosel !!

E como passeio bom é aquele sem planejamento e com belas surpresas, hoje andando por aí vimos uma igreja bem diferente das outras por fora,  pareciam ruínas de tijolos, era a igreja de Santa Maria degli Angeli, que foi construída em 298 e 306 pelo imperador Maximiano para servir de banho público a população, mas em 1565 o local foi entregue aos monges de Santa Cruz e com a ajuda de Michaelangelo o local foi convertido na igreja que é hoje!

Fachada Santa Maria degli Angeli

Interior Santa Maria degli Angelo

Pela Euroap é fato que igreja é o que mais tem, mas de toda a Itália aqui em Roma estamos encontrar exemplos de belas construções e o que mais chamou atenção, pelo menos hoje no domingo, todas as igrejas são cheias de freiras, sejam rezando ou seja tomando conta de igreja !

Mais uma igreja romana...

E os caminhos sem destinos nos levaram novamente a região da Piazza di Spagna, onde contamos no post anterior sobre as compras de Natal, mas hoje não diferente do outro dia, também estava lotada, mas claro, de turistas !

Piazza di Spagna, lotada!

Escadaria da Piazza di Spagna + igreja Trinità dei Monti

Agora é torcer para que o tempo fique conforme a previsão indica, sem chuva !

Costa Amalfitana

Ontem contamos que em Capri vimos uma das vistas mais deslumbrantes da viagem, mas hoje arrumamos um concorrente de peso, e bota peso nisso! Hoje fomos para a Costa Amalfitana, uma deslumbrante região na península de Sorrento, ao sul de Nápoles.

Costa Amalfitana

Tão badalada quanto Capri no verão, a Costa Amalfitana tem um charme especial, as cidades ficam escondidinhas nos penhascos, no meio das montanhas e debruçadas sobre o mar azul, e a cada curva da estrada (que é estreita e fica literalmente na beira do abismo com o mar) era uma surpresa!

Positano sobre o mar

As duas principais cidades da Costa Amalfitana  são Positano (que só passamos) e Amalfi, a maior, mas é aquilo, uma rua de comercio, uma igreja e as casas subindo montanha a cima.

Amalfi, a maior cidade da região

 

Centro de Amalfi

Amalfi

Costa Amalfitana uma região para se apaixonar, para ficar ali paradinho adimirando toda a beleza da natureza!

Amalfi

 

Costa Amalfitana - a caminho de Positano

 Como o mundo reserva cantinhos mágicos e magníficos, gente, venha ver o mundo também!

E se tiver planejando uma lua-de-mel beeeem romântica, fica a dica!

Costa Amalfitana

Serviço:

De Nápoles para Sorrento

Trem: em vários horários partindo da estação principal de Nápoles, mas não faz parte da rede da Trenitalia, é da rede Circumvesuviana (parte do subsolo da estação) – passagem 3,40euros por pessoa, aproximadamente 1hora de viagem

De Sorrento para Positano + Amalfi

Ônibus: partindo a cada 30min em frente a estação de trem de Sorrento – passagem 3,40euros por pessoa, aproximadamente 1hora de viagem (pelas belas e sinuosas estradas sobre o mar azul)

Dica: na volta pegamos um ônibus direto Amalfi-Napolis ( 3,40euros por pessoa), mas a viagem leva 3horas, passa dentro de algumas cidades e como já era o fim do dia estávamos bem cansados, achamos que vale mais a pena,mesmo  com baldeação e 3,40euros mais caro fazer ônibus+trem

Um dia em Capri

Hoje fomos ver a ilha de Capri, localizada no Golfo de Nápoles, a ilha fica a 30min de ferryboat partindo de Nápoles (existem pelo menos 3 empresas que operam a linha e a freqüência é na média de hora em hora e o bilhete custa 32euros ida e volta por pessoa).

Logo na chegada a beleza natural do lugar enche os olhos, penhascos rochosos em tom branco dominam a paisagem, e fazem agente ficar pequenininho tamanha a escala gigantesca das pedras, chegamos pela Marina Grande (existem duas em Capri) ela fica ao nível do mar com suas casas coloridas e agitado comércio de peixes, mas a cidade de Capri fica lá no alto, no alto da colina…

Chega a Capri - Marina grande

Ou você aluga um taxi (são todos conversíveis), ou você pega o ônibus, ou você pega o funicular ou você sobe a pé até a cidade; optamos pelo funicular (todos os transportes públicos na ilha custam 1,40euro por pessoa e por trajeto) e em menos de 3min estávamos de frente a uma das mais belas vistas que já vimos, realmente a vista é fantástica!

Vista da cidade de Capri para o mar

A ilha de Capri é sinônimo de badalação no verão, um balneário de famosos e ricos e logo percebemos a riqueza-luxo-poder, todas as grandes grifes tem loja na minúscula cidade de Capri, mas agora no inverno, baixa estação, todas estavam fechadas e literalmente vazias, tínhamos somente uma vitrine montada e o interior da loja sem nada…

Do centro, em nem 10min de caminhada em direção ao outro lado da ilha, chegando a um mirante com a mais deslumbrante vista, vista de uma mar mais azul azul que já vimos! Alí é para agradecer a Deus pela natureza e pelo poder da visão! E olha que o dia não estava com sol e céu azul, imagina se estivesse…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Infelizmente não pudemos visitar a Grotta Azzurra (Gruta Azul), devido as condições climáticas estava fechado, mas certamente deve ser outro local de ficar de boca aberta…

Grotta Azzurra (foto reprodução da internet)

Capri, certamente um destino a se volta no verão!

Nápoles de duas caras

Já tínhamos lido no guia e na internet que Nápoles era suja, caótica, confusa, velha e mal cuidada, mas realmente só acreditamos quando desembarcamos da estação de trem, foi ver na pele a dura realidade da Itália, o norte MUITO rico e um sul pobre!

Se a primeira impressão é a que fica, ela não foi muito boa, foi assustadora!

Estamos hospedados no centro histórico, logo uma das partes mais antigas, e infelizmente antigo aqui significa velho, sem conservação, do tipo prédios lindos caindo aos pedaços. A arquitetura da cidade é bonita, mas infelizmente a sujeira e falta de conservação do centro histórico a faz ficar feia.   

E quando falamos de sujeira, falamos de ruas impressionantemente sujas e cheias, mas cheias do tipo montanha, de lixo que impedem a circulação pelas calçadas, não sabemos se há algum tipo de problema de coleta de lixo, ou se isso é o normal, mas já vimos cartazes na rua convocando os moradores para um protesto sobre o lixo…

Ruas lotadas de lixo

A região mais pitoresca, e mais napolitana possível é o Quartieri Spagnoli (Bairro Espanhol), uma das áreas mais populosas da cidade, recebeu esse nome por causa das tropas espanholas do século 17, roupas estendidas nas sacadas, labirinto de ruas, agitação, muito camelô pelas ruas é normal pela área (e pela cidade).

Quartieri Spagnoli

Ruas do Quartieri Spagnoli

Caminhando sem destino, fomos nos afastando do centro histórico em direção ao mar, e aí surpreendentemente Nápoles vai apresentando sua outra cara, uma Nápoles limpa, de prédio bem conservador, lojas de luxo e claro, sem lixo nas ruas!

Luxo na Galleria Umberto I

E ao chegar a beira mar, no bairro de Santa Lucia, encontramos o monte do vulcão Vesúvio ao longe e uma rica e bela enseada com prédios querendo ser a riviera francesa e o Castel dell’Ovo, que ocupa uma pena ilha, onde já foi residência real e já funcionou um mercado de peixes e hoje é uma área cultural com exposições aberta a visitação pública.

Jeffe e o Vesúvio ao fundo

Enseada de Santa Lucia

Castelo dell'Ovo

A verdadeira pizza napolitana agente ainda não provou, mas acho que se ela for realmente boa, merece um post especial!

Nápoles vista do castelo dell'Ovo

Lucca & Arezzo

Dando sequencia na viagem pela Toscna, ontem e hoje percorremos duas cidades próximas a Firenze, nossa base! Assim como Pisa, a viagem até essas cidades são curtas 1/1:30h no máximo com tickets de 11,60euros por pessoa ida e volta, que compramos na hora, porque tem trem de hora em hora!

LUCCA:

A medieval Lucca cercada por muralhas!

Pequena, porém muito charmosa, o centro histórico é todo cercado por uma grande muralha, e sem acesso a carro, então o prazer maior é andar sem destino pelas ruelas medievais e deliciar-se com a surpresa das muitas pequenas praças espalhadas pela cidade e as muitas igrejas, grandes ou pequenas, todas ao mais belo estilo românico de Pisa.

Muralhas cercam o centro histórico

Ruas de Lucca

 A praça mais charmosa e grande é o Anfiteatro Romano, na verdade do anfiteatro quase nada mais resta, a não ser a forma redonda-ovalada, hoje se chama Piazza del Mercado, mas encanta pelos seus prédios medievais em tons pastéis e pelo formato!

Anfiteatro Romano - Piazza del Mercado

Já falamos antes aqui do desespero de ver as coisas e não poder comprar, devido o peso na mala e a duração da viagem, e desta vez não foi diferente, como era domingo, estava tendo uma feira de produtores regionais, imagina só vinhos, azeites, queijos, presutos, mel, tudo feito alí no interior da Toscana, dessa vez deu vontade e água na boca de fazer compras!

Feira de produtos regionais: vinhos, azeites, queijos...

 Depois dessa, tinhas de almoçar, então compranos nosso almoço, um belo sanduiche de foggacia com prosciutto (presunto defumado) + formaggio (queijo) e bagete com salame e claro, escolhemos uma das belas praças para comer…

Piazza San Martino

 Ao fim da tarde, um passeio pela muralha, a muralha foi reconstruída em 1645, e foi feita muita larga e com um jardim contornando toda a extensão, para que inimigos não se escondessem, dessa forma, hoje ela é principal área de lazer da cidade.

Área de lazer sobre a muralha

AREZZO:

Uma das cidades mais ricas da Toscana, devido a produção de joias é também bem pequena, assim como Lucca de arquitetura medieval, mas aqui  algumas ruelas foram substituitas por largas avenidas, após as destruições da Segunda Guerra Mundial, como é retratado no filme “A Vida é Bela” de Roberto Benigni, que foi filmado nas ruas de Arezzo.

Piazza Grande

Piazza Grande

Algumas praças e igrejas como todo boa cidade da Europa, mas o que mais marcou foi a belíssima vista dos campos verdes cheios de ciprestes, que podem ser vistos do alto da cidade, já que a parte histórica fica sobre um morro.

Bela vista dos campos da Toscana

Arezzo encanta, mas vale o passeio se você tiver tempo sobrando, não há muitos pontos de interesse…

Duomo de Arezzo