O último Queen´s Day!

O Queen’s Day, ou dia da Rainha é uma antiga tradição holandesa e também  é o dia que gera maior comoção entre os habitantes e visitantes no ano. Todos se vestem em todas as tonalidades de laranja possíveis (cor da família real Holandesa) e festejam pelas ruas de Amsterdam.

Image

Image

Desde 1948, 30 de Abril é a data oficial do Queen’s Day e, apesar da Rainha Beatrix, filha de Juliana, ter nascido em outra data (31 de janeiro), optou-se por manter o dia 30 de abril para festividades sendo também uma homenagem a mãe!

Tudo é laranja! Carros, cachorros, acessórios, perucas e a cidade vira uma enorme festa, suas ruas ficam  tomadas por barracas  porque este é o único dia do ano em que qualquer pessoa pode vender quinquilharias na rua sem ter a permissão especial ou sem adição de taxas sobre os produtos. Quase todos os cafés e bares se transformam em baladas. E para os que gostam de planejar com antecedência, as “boatparties” oferecem muita diversão nos belos canais da cidade.

Image

Image

Foi maravilhoso presenciar este evento em 2013, algo que nunca tinha tinha vivido no Brasil e este ano a festa foi ainda maior e mais esperada, pois pela primeira vez em 123 anos a Holanda agora tem um rei e não uma rainha.  Beatriz abdicou o seu cargo  em prol da ascensão de seu filho, o príncipe Willem Alexander, em 29 de janeiro, desde então toda população esperou muito para comemorar a subida do novo rei. E ainda que a residência oficial da família real holandesa seja em Haia, a coroação e as principais festividades foram em Amsterdam,  que é a maior cidade da Holanda.Image

Após a coroação de Willen Alexander e  Máxima, Este foi o último Queen’s Day desta geração. A partir de 2014 o evento será chamado King’s Day e terá sua data trocada para o dia 27 de abril, aniversário de Willem-Alexander.Image

Um evento realmente inesquecível que vale a pena visitar, coloque já na sua agenda de 2014 e vá comemorar o Aniversário do REI!

obs: Cada um comemora da forma que mais gosta, tem para tudo e para todos os gostos! O que vale mesmo é o LARANJA!

Image

Confira um pouco do que aconteceu em 2013

http://www.youtube.com/watch?v=h0WW1SxdPdg

Fomos ver Nova York

Fomos ver Nova York! A capital do mundo! A metrópole das metrópoles!

Conhecer NYC era um sonho, e quando a oportunidade de viajar junto de uma amiga querida surgiu, já que a companhia de viagem dela não pode mais ir, comprei a passagem e arrumei as malas!

Após 9horas de voo, cheguei ao aeroporto de JFK NY, passada a imigração e esperar bastante pelas malas a tarefa era, como chegar do aeroporto ao Brooklyn (sim, nossa hospedagem seria no Brooklyn num quarto alugado pelo site Airbnb, sobre o site a o apartamento falo mais abaixo).

Do aeroporto JFK existe um trem chamado AirTrain  que liga o aeroporto a rede de metrô. Para embarcar na estação do seu terminal no aeroporto não precisa comprar bilhete, mas quando for fazer a transferência para o metrô, terão máquinas automáticas onde comprar o bilhete do metrô U$ 2,25 + bilhete do Airtrain U$ 5,00 (em maio 20120) – já se compra uma tarifa com tudo junto por U$ 7,25

Agora era parar e analisar a gigante rede de metrô de NYC e descobrir as direções, a estação próxima ao destino… 1:30h depois, pegando um metrô expresso* e passando 5 estações de onde devia parar cheguei a minha casa no Brooklyn!

*Preste atenção, pois nas linhas de metro de NYC, que são divididas por letras e números, existem os trens expressos que só param em algumas estações e os locais, que param em todas as estações!

Ficaríamos uma semana hospedados num prédio onde funcionou um antigo hospital judeu, e hoje passou por um retrofit e foi divididos em apartamentos tipo lofts, o nosso no último andar, tinha um terraço, os famosos roof tops, com direito a espreguiçadeiras, churrasqueira e uma incrível vista para Manhattan!

Nossa rua no Brooklyn

Os donos do apartamento foram extremamente simpáticos e atenciosos, já tinham chave extra para nós, nos mostraram toda a casa (que era limpa e condizente com as fotos do site), nos passaram informações sobre como separar o lixo, sobre uso da cozinha e nos levaram ao supermercado local para comprar nossas coisas.

Sobre a experiência de alugar um quarto na casa de um desconhecido pelo site Airbnb foi super tranquilo! Passada a fazer de escolher o local, vendo milhões de fotos, lendo o que outras pessoas falam do local e analisando tudo com a localização do mapa, a comunicação com o site foi perfeita. O pagamento é feito direto para o site e o site paga ao dono da casa, eles nos enviaram comprovante de pagamento e comprovante de hospedagem em papel timbrado via e-mail, caso a imigração solicitasse, passaram o contato e Facebook do dono do apartamento que se comunicou com a gente, explicou como chegar do aeroporto até a casa, e claro, o preço foi super super mais barato que ficar em um hotel!

Dia1:

Após chegar e nos acomodarmos no apartamento alugado, era hora de fazer um reconhecimento das redondezas da nossa casa por 7 dias, estávamos numa das áreas mais valorizadas do Brooklyn para morar, não era a área cool-moderninha de Williamsburg, e sim a área chic perto do Prospect Park, Jardim Botanico do Brooklyn e do Brooklyn Museum. Foi bacana ficar nesta área do Brooklyn, pois pudemos ver e viver um pouco do dia-a-dia local, mas estando pela primeira vez em NYC foi ruim, porque estávamos a mais ou menos 50min de metrô de Manhattan, onde se concentram a atrações turísticas de NYC.

Prospect Park / Brooklyn

Prospect Park / Brooklyn

A noite chegou e era hora de conhecer Manhattan, e resolvemos fazer a primeira parada na mundialmente famosa Times Square! Pode-se dizer que o centro turístico de NYC, e o centro mágico com seus mega telões passando mil vídeos e informações a cada segundo, tudo brilha, tudo chama atenção! Uma mistura de desespero e emoções!

Times Square

Seguimos pela região atrás das famosas barraquinhas de HotDog, rodamos por um trecho da 5ªavenida, passamos pelo Rockfeller Center, onde a pista de patinação no gelo ainda estava montada, comemora uma sopa horrorosa num restaurante pela região e voltamos para casa!

Ed. Rockfeller Center

Pista de Patinação / Rockfeller Center

Radio City Music Hall

Dia2:

Seguimos em direção a UpperEastSide, a área mais chic de NYC para visitar o Museu Guggenheim, o prédio em si deste museu já é incrível e a coleção de arte contemporânea que visitamos pelas galerias em forma de espiral fazem desse um dos passeios imperdíveis de NYC.

Museu Guggenheim

Cúpula interna / Guggenheim Museum

Do Guggenheim, seguimos pela 5ªAvenida, nesta região, de frente ao Central Park, só existem prédios residencial, cada um com seu porteiro elegantemente trajando uma espécie de fraque e cap para abrir a porta para os moradores, até chegarmos ao Metropolitan Museum of Art

O MET foi fundado em 20 de fevereiro de 1820, é hoje um dos maiores e mais importantes museus do mundo e abriga uma importante coleção de pintura europeia dos séculos XII-XX e obras da arte antiga (grega, romana, egípicia e assírio-babilónica) e oriental. Prepare-se para um museu gigante e com muitos turistas!

Metropolitan

Metropolitan

*antes ou depois de visitar o museu, sente-se na escadaria em frente, e perca um tempo vendo os new yorkers passarem, além de pessoas do mundo todo que estarão chegando e saindo do museu, vale a pena!

Do MET cruzamos por dentro do belíssimo CentralPark para o lado West, até a frente do Edifício Dakota, onde morou Jonh Lennon, em frente ao prédio, dentro do CentralPark, existe um local chamado Strawberry Fields, que é um memoril no local da morte do Jonh Lennon.

Central Park

Central Park

Logo ali do lado, existe o Museu de História Natural que só visitamos o foyer, afinal, e outro museu gigante e que o conteúdo não muito nos interessava, mas se você estiver viajando com crianças, não deixe de fora do seu roteiro, vão adorar os dinossauros e toda a história da evolução humana!

Dinossauros / Foyer MHN

Como NYC é uma cidade plana, caminhar por ela é a forma mais fácil, simples e deliciosa de se conhecer a cidade, e assim terminamos nosso dia, caminhando em direção a Midtown, até novamente o Rockfeller Center para comer o melhor cupcake e bolo de caramelo do mundo na Magnolia Bakery

Bolo Caramelo / Magnolia Bakery

Devorando o Bolo Caramelo

Os melhores CupCakes do Mundo!

Dia3:

O destino inicial era visita o Monumento 9/11 – o memorial aos mortos no 11 de Setembro – para a visita é necessário comprar o ticket com antecedência pelo site http://www.911memorial.org  e levar os tickets impressos!

Memorial 11Setembro

Memorail 9/11 – Piscinas que marcam a posição das torreres do World Trade Center

Ao fundo o edifício que está sendo construído no complexo do antigo World Trade Center

Como o memorial fica em downtown, a região financeira de Manhattan, demos uma passada pela famosa Wall Street onde ainda estava ocorrendo o movimento “Ocupe WallStreet”

Wall Street

O segundo destino era visitar o Empire States building e realizar o sonho de chegar até o andar 102 e ver a BigApple lá de cima!

Empire States Building

Para visitar o Empire States reserve tempo, pois só para chegar até o topo foram quase 2 horas de fila! Primeiro é a fila para passar no detectador de metais, depois para comprar o ingresso, depois para pegar o elevador até o andar 80, depois para pegar o outro elevador até o andar 86 onde tem o primeiro deck de observação!

Escadas entre andar 80 e 86

Ufa! A espera é tanta que quase dá para chegar lá em cima subindo de escadas, falando em escadas, fique espero, pois do andar 80 para o 86 eles liberam subir e descer de escadas, o que é mais rápido que esperar a fila do elevador, mas também mais cansativo…No andar 86 você compra o ticket para ir até o andar 102, dependendo das condições climáticas o último andar pode estar fechado para visitação.

Up to 102floor

Vista 102 andar

Na mesma rua do Empire States fica a Macy’s a gigante loja de departamento que com seus 7…9 andares! É grande, é cheia, tem de tudo e mais um pouco, mas me concetrei somente em chegar no seção de underwear para comprar cuecas CalvinKlein e meias. Dalí o destino foi a 5ªAvenida para fazer um fim de tarde de compras nas básicas Uniqlo, Gap, H&M, Zara e afins, afinal, em toda boa viagem o roteiro compras faz parte!

Dia4:

Era sábado, e o dia começou com um longo e delicio brunch com amigos brasileiros que moram em NYC, o local escolhido, foi o Nice Matin, uma casa francesa com mesinhas na calçada, onde perdemos do meio da manhã até o início do meio da tarde em uma deliciosa conversa e muitos Espressos Martin!

Espresso Martini no Nice Matin

De lá seguimos para um roteiro bem não usual ao turista conversional que geralmente não passa da rua 96, fomos até a rua 190 para visitar o The Cloisters  que é um segmento do Metropolitan Museus, porém dedicado a arte medieval. Se eu indico a algum amigo visitar? Só se tiver tempo sobrando, eu num tinha tempo sobrando, mas fui com boa companhia, então valeu a pena!

Jardins / The Cloisters

Museu / The Cloisters

Do topo do Upperside, descemos direto ao Soho, nada como uma boa rede de metrô, para visitar o incrível New Museum outro museus com uma super coleção de arte contemporânea, e para mim, arquiteto, só o prédio já vale a experiência!

New Museum

Do lado do NewMuseum existe um supermercado chamado WholeFoods, existem várias unidades pela cidade, este supermercado é dedicado a comida orgânica, ali compramos nosso jantar e fomos para casa cozinhar!

Dia5:

Domingo, dia de começar o dia bem relaxado, e nada melhor que um ótimo café da manhã, e o ótimo café foi dentro do CentralPark, na tradicional casa belga (que agora já tem filial em SP) Le Pain Quotidien, uma cesta de pães orgânicos, geleias frescas e salada de fruta e uma vista linda para o parque, nada melhor!

Le Pain Quotidien / Central Park

Como turista não tem muito tempo a perder, do café-da-manhã fomos direto ao MoMa Museu of Modern Art e se gosta de excelentes exposições de arte moderna, se gosta de um museu incrivelmente lindo, reserve um bom tempo e visite o MoMa com calma! E na saída, não deixe de passar pela lojinha do museu com muitas coisas incríveis, vontade de comprar tudo!

MoMa

MoMa / Jardins

Do MoMa fomos para uma das regiões mais bacanas de NYC, quase sem atrativos turísticos, você só vai encontrar os locais, mas também irá descobrir lojas e restaurantes e galerias de arte que só quem vive por ali sabe!

A primeira parada foi no Chelsea, uma região que hoje concentra as galerias de arte moderninhas que migraram do Soho para esta região, que também é uma das áreas gays de NYC, por ali almoçamos no Chelsea  Market, uma espécie de shopping destinado a gastronomia, com várias lojas de utensílios  para cozinha e claro vários restaurantes de todo tipo de comida, mas do tipo compre aqui e coma ali no meio do corredor ou no meio da rua, sem luxo e sem frescura.

Chelsea Market

Do Chelsea Market chega-se a o Meatpacking District , o nome vem do fato de a área ter sido ocupada por matadouros e fábricas de processamento e embalagem de carnes; por ali funcionava o Gansevoort Market. Nos anos 80, o Meatpacking era um antro de clubes de sexo e prostituição de rua (sobretudo travestis). Mas nos anos 90 começou a invasão de butiques de grife, hotéis de luxo e restaurantes difíceis de conseguir reserva. Hoje o lugar tem o comércio de rua mais chique da cidade abaixo da 5a. Avenida com rua 57. Applemaníacos e iPhônicos em geral vão gostar de saber que na esquina da rua 14 com 9a. Avenida está instalada uma Apple Store maior e mais organizada que a da 5a. Avenida.

Por ali existe o High Line que é um parque feito em uma linha de trem abandonada, fica a 18m acima do nível da rua e vale o passeio e apreciar a linda vista do rio Hudsson.

Passeio pelo HighLine

Standard Hotel atravessa por cima do HighLine

Dia6:

Foi o dia destinado a compras! A primeira parada foi na Bleecker Street no Village, esta rua é muito bacana, vale percorrer ela toda, é uma mistura de lojinhas desconhecidas com lojinhas de grifes famosas(sim é tudo lojinha, pois esta região está se tornando uma região imobiliária muito valorizada, logo o m² é very expensive!) O atendimento é melhor que o das lojas da 5ªAvenida, mais calmo e personalizado, o publico que frequenta é misturado, não tem tantos turistas e você acha desde coisas simples, baratas e bacanas, até os nomes badalados Ralph Lauren, Michael Korns, Mulberry, Marc Jacobs (esse tem loja masculina, feminina e infantil – tudo seprarado e espalhado pela rua) entre outras.

Da Bleecker descemos pela Broadway em direção ao coração do Soho para chegar novamente nas lojas de sempre H&M, Zara, TopShop, Urban Outfitters e dalí penetrar pelas ruazinhas do Soho a procura de novas lojinhas e de novidades…

Resultado do Shopping Day

Dia7:

Era o dia de vir embora, só deu tempo de ir até o Jardim Botânico do Brooklyn, que era do lado do nosso apartamento e visitar o belíssimo Jardim das  Cerejeiras que estavam incrivelmente floridas! E como tudo que está do lado a gente deixa para depois, não deu tempo de ir no Brooklyn Museu que estava pertinho de nós…

Jardim Botânico do Brooklyn

Alameda das Cerejeiras

E lá se foram 7 dias em NYC … Agora é fazer tudo de novo, metrô + Airtrain + 9horas de voo até SP!

Dicas úteis:

Geografia:

  • Manhattan se divide em Uptown (ao norte) // Midtown  (centro) // Downtown (ao sul)
  • É importante se localizar desta forma, pois as referencias do sentido do metrô são essas! Mas é fácil se achar, pois as ruas começam na numeração baixa em Downtown e vão subindo conforme se vai caminhando para o norte.

Metrô:

  • Compre o MetroCard de 7 dias, que custa U$ 29 (maio2012), com este você pode utilizar metrô e ônibus quantas vezes por dia quiser durante os 7 dias! É útil, pratico e barato, caso contrário a cada trecho terá de pagar U$ 2,25
  • Observe os trens expressos – que só param em algumas estações e os trens locais – que param em todas as extações.
  • Quando o trem estiver chegando, antes de embarcar,  leia na placa do trem o destino/linha e se é expresso ou local, pois numa mesma plataforma podem passar linhas diferentes.
  • O metro é eficiente e te leva em todos os lugares, mas não se assuste é feio sujo e no verão extremamente quente! Diz que não é bom ficar encarando e/ou tirando foto dos usuários, a não ser que esteja tocando alguma música ou fazendo algum tipo de apresentação (bem comum nas estações), mas se fotografou, dê uma moedinha depois!
  • É comum se perder no metrô, principalmente nas primeiras vezes que for usar, até dominar todo o processo, e não se sinta mal, os próprios nova iorquinos se perdem também.

Taxi:

  • Existe uma separação de acrílico entre o motorista e o passageiro, não é proibido andar no banco da frente, mas não é comum, a não ser que se esteja em 4 pessoas

Gorjetas:

  • Em NY é comum deixar de 15 a 20% de gorjeta no restaurante e no taxi
  • Se for pagar a conta do restaurante no Cartão de Crédito, primeiro eles passam o cartão, depois vem a mesa a nota para você incluir o valor que deseja dar de gorjeta e assinar
  • Não é comum e eles não gostam de dividir a conta passando um tanto em cada cartão de crédito, se estiver em grupo ou divida e pague tudo em dinheiro, ou é melhor um pagar no cartão e as outras pessoas darem o dinheiro para o dono do cartão

Onde comer:

  • Comida rápida, do tipo que se compra na vitrine e vai comer no banco da praça – bom para o almoço,do tipo bom e barato

– Pret a Manger: tem várias lojas espalhadas pela cidade / http://www.pret.com/us

– Le Pain Quotidien: também tem várias lojas pela cidade, a mais charmosa fica dentro do CentralPark http://www.lepainquotidien.us

– Barraquinhas de Hot Dog, comida mexicana, comida árabe, tem sempre uma em alguma esquina, compre seu lanche e vá comer em algum banco de praça

  • Restaurantes:

– Nice Matin: restaurante em Upper West Side – mistura de Frances com AmericanFood – gostoso para brunch de final de semana http://www.nicematinnyc.com/

– Minetta Tavernny – no GreenVillage, tradicional restaurante desde 1937, bom para jantar – imprescindível fazer reserva http://www.minettatavernny.com/

  • Doces Incríveis:

– Magnolia Bakery – tem 5 lojas pela cidade, veja a mais perto de você e não perca http://magnoliabakery.com/find_us_new_york.php

Free Wi-Fi:

  • Não é todo lugar que tem free wi-fi em NYC, mas em todo Starbucks tem! No primeiro acesso tem de fazer um rápido e simples cadastro, depois é só entrar ou parar na porta e usar o acesso, até quando a loja está fechada o sinal continua funcionando, dá para usar da calçada!

Compras:

  • 5ª Avenida – entre 58 e 49 – lojas de grifes, joalherias e populares Gap, Zara, H&M, tudo junto e com muitos turistas
  • Apple Store – vale ir só para ver a loja e o formigueiro humano que parece ser! 5ªAvenida com 58 – em frente fica o famoso Hotel Plaza
  • FAO Schwarz (em frente a Apple) loja enorme de brinquedos – onde tem o teclado gigante que se toca pulando em cima do filme “Curtindo a Vida a Doidado”
  • Macy’s  e Bloomingdale’s – gigantes e tradicionais lojas de departamento, acha-se de tudo
  • Sack’s e Berdgof Goodman – elegantes e chic lojas de departamento
  • Broadway Street na regiçao do Soho – mix de lojas tipo Zara, TopShop, Urban Outffiter e lojas de grife
  • Bleecker Street – Village/Soho – lojas bacanas e lojas de grife
  • Williamsburg – Brooklyn – novos estilistas e lojas descoladas
  • Brechó – Beacon’s Closet – um dos maiores de NY http://www.beaconscloset.com/

Fomos ver Buenos Aires

3 dias em Buenos Aires 

Dia1: sexta-feira

Após nos acomodarmos no Axel Hotel, no bairro de San Telmo, saímos para começar a explorar Buenos Aires, como ainda era cedo, o primeiro dia praticamente valeria como um dia completo!

As primeiras impressões, ainda caminhando pelas antigas ruas de San Telmo era que tudo nos remetia ao centro velho do Rio de Janeiro e/ou São Paulo, alguns prédios antigos com  alguns dos prováveis anos 50’s 60’s sem muita manutenção, tudo ainda era uma mistura de encantamento e ao mesmo tempo decepção, em algumas esquinas não tinha certeza de ter saído do Brasil, já em outras percebia 100% estar em outras terras, principalmente ao observar o ar vintage dos ônibus públicos! Pelo menos no Rio ou SP nossa frota tá mais moderninha! hehehe…

Vintage bus

Vintage bus

Rua a rua, a paisagem foi mudando, e mesmo ainda com um ar de centro antigo, as ruas foram ficando mais largas e as grandes avenidas, as enormes avenidas, foram mudando a paisagem, fomos encontrando e nos deslumbrando com a capital Argentina, que realmente tem um grande gostinho de Europa…

Largas ruas e avenidas

Largas ruas e avenidas

Um gostinho de europa

Um gostinho de Europa

O primeiro destino era a Casa de Gobierno, ou melhor, a Casa Rosada, mas como turista a pé sempre acha uma coisa fora do roteiro, encontramos a “Manzana de Las Luces” que é um bloco formado por vários prédios históricos: Colégio Nacional de BsAs, igreja de San Ignacio, o antigo edífico da Universidade de BsAs e no meio disso tudo ocorre o “Mercado de Las Luces”, uma feira de antiguidades (um dos fortes comércio do bairro de SanTelmo) e artesanato… Valeu pela descoberta fora do roteiro, valeu pelos 15min gastos vendo as barraquinhas, mas não vale sair do seu roteiro para ir até lá…

Mercado de Las Luces

Mercado de Las Luces

Feirinha de antiguidades

Patio interno - Mercado de Las Luces

Chegando a Plaza de Mayo, lá estávamos no centro da vida política de Buenos Aires, palco de muitas emoções desde a época colonial até a atualidade. Seu nome comemora a Revolução de Maio, de 1810, que deu início ao processo de independência das colônias da região sul da América do Sul, uma praça de muita importância, e de prédios igualmente importantes, como a Casa Rosada, sede do poder executivo argentino e a Catedral metropolitana de Buenos Aires.

Casa Rosada - Plaza de Mayo

Plaza de Mayo

Passo seguinte foi chegar na larguíssima avenida 9 Julio, a principal avenida de BsAs e a mais larga avenida do mundo, leva esse nome pela data de independência da Argentina e tem como monumento central o um enorme obelisco de 67m de altura, na Praça de República.

Larguíssima Av. 9 Julio

Obelisco - Praça da República / Av. 9 Julio

Seguindo a rota dos pontos turístico do centro e microcentro de BsAs, o maravilhoso e imponente Teatro Colon, www.teatrocolon.org.ar ,de arquitetura eclética, mescla neo-renascentismo italiano e  barroco francês. Existe a possibilidade de conhecer com visita guiada o interior do teatro, mas não fizemos o passeio, preferimos a pausa e o sol brando no jardim em frente, nesse momento sentimos o gostinho de Europa: jardim+grama+sol+picnic+leitura ao sol…. um local perfeito para o ócio,  este hábito do ócio nos parques e jardins faltam no brasileiro, talvés aqui se faça isso na praia, mas nas cidades que num tem praia?

Teatro Colon

Plaza Lavalle - em frente ao Teatro Colon

Não poderíamos deixar de passar pela famosa rua Florida, rua de comércio intenso, cheia, lotada, tudo mais caro, mil vendedores de show de Tango, ou seja, só passamos, e passamos bem rápido, a sorte é que no fim da Florida existe as Galerias Pacífico, igualmente cheia de turistas (afinal com o real quase 2 para 1 peso, o povo adora comprar!) e nos também gostamos de comprar e claro, pausa para as compras!

Movimentada e desinteressante rua Florida

Mas além de comprar vale um passeio com calma pelos corredores da Galerias Pacífico , e não olhando para as vitrines e sim para cima, para o belíssimo prédio, para os belíssimos afrescos pintados no hall central. Construída para ser uma loja de departamento, transformou-se no Museu Nacional de Bellas Artes, depois em escritório da empresa ferroviária Pacífico, de onde herdou o nome, para só em 1991 transformar-se em shopping!

Galerias Pacífico

Galerias Pacífico - interior

Para fechar o dia1 e o tour pela BsAs antiga, nada como um café e algumas mezalunas no tradicionalíssimo e igualmente belíssimo Café Tortoni, www.cafetortoni.com.ar,  na lista dos mais notáveis bares-cafés de BsAs e incluso no livro “1001 lugares que se deve conhecer antes de morrer”

Cafe Tortoni - fachada

Cafe Tortoni - interior

Dia2 sábado:

Sábado estava reservado para explorar os lados de Palermo e seus arredores, iniciamos na Plaza das las Naciones Unidas, onde fica o monumento Flor Floralis, uma gigantes flor de 23metros de altura de metal que se abre pela manhã e se fecha a noite (diz que o monumento encontrar quebrado e não abre e fecha todos os dias).

Plaza de las Naciones Unidas - Floralis

Seguindo na mesma avenida Pte. Figueiroa Alcorta, encontra-se o indispensável MALBA – Museu de Arte Latino-americano de Buenos Aires www.malba.org.ar – este tem de estar no seu roteiro em BsAs, o museu está completando 10anos e tem como principal tema a arte latino-americana, com nomes como Tarsila do Amaral (o famoso Abapuro esta lá) e Frida Kahlo no seu acervo. Instalado num prédio de arquitetura contemporânea, com área de 8000 m2, foi projetado pelos jovens arquitetos argentinos Gastón Alemán, Martín Fourcade e Alfredo Tapia, com blocos que se cruzam mostram a influência de Álvaro Siza Vieira e Richard Méier na arquitetura.

MALBA - Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires

Continuando na mesma avenida, fizemos uma pausa no Jardim Japonês, que é 100% dispensável no seu roteiro, a não ser que você seja amante de paisagismo japonês, 8pesos de entrada para ver um jardim bonitinho e bem tratado, nada além disso…

Agora não mais na Av. Pte. Figueiroa Alcorta e sim, no coração do bairro de Palermo, mais propriamente dito em Palermo Soho, seguimos direto a Plaza Cortázar, onde ocorre uma feirinha de artesanato beeeem hipie e de interesse bem mediano, mas o que interessa em Palermo é o que está em volta da praça e arredores, as lojas e os restaurantes com mesinhas na calçada!

Sábado a tarde em Palermo Soho

Perca-se pelas ruazinhas, vá de loja em loja, faça uma pausa em algum café de alguma esquina e depois escolha um restaurante com mesas na calçada e veja a vida passar (prefira os mais afastados da praça, menos agitação, a não ser que seja este seu objetivo).

Animadas ruas de Palermo Soho

Lojas e lojinhas em Palermo Soho

Dia3 Domingo:

Este era nosso último dia, e foi o dia mais curto, decidimos por não entrar na piração do turista de ter de aproveitar até o último minuto e conhecer e conhecer e conhecer… Fomos dar um giro pela animada e lotada feira de SanTelmo www.feriadesantelmo.com , que ocorre na Plaza Dorrego, é uma feira de antiguidades, afinal se está em San Telmo, o bairro dos antiquários! O foco principal sã objetos para decoração e principalmente produtos de prata, e não ache que por ser um feirinha de rua encontrará o melhor dos preços, muito pelo contrário achamos tudo bem caro, mas em toda boa feirinha de rua, negocie o primeiro preço, certamente ganhar um bom desconto!

Feira de San Telmo

Feira de San Telmo

Ao redor da praça existem alguns restaurantes e cafés, apresentações de música e Tango em cada esquina, e muitas, muitas barraquinhas de todo tipo de artesanato.  Na verdade, pode-se dizer que a feira começa lá na Plaza da Mayo e se estende por toda rua da Defensa (nesta só artesanato vagabundo,) até chegar na Plaza Dorrego com as barraquinhas de antiguidades. #Fica a Dica: se tiver interesse em ver as antiguidades e comprar com calma chegue cedo, tipo 9-10h, depois LOTA de turistas só enrolando o meio de campo!

Praticamente uma orquestra na praça

Rua Defensa - multidão da Plaza de Mayo até a Feira de San Telmo

Dali, seguimos ao ponto mais turístico de todos o Caminito, localizado no bairro de La Boca, é um conjunto de 3 ou 4 ruas com suas casinhas todas pintadas de cores alegres, muitos dançarinos de Tango por todo lado, muita gente te oferecendo restaurante para almoçar e mais gente ainda te oferecendo souvenir pelas ruas! Se for sua primeira vez a BsAs vá, pois é necessário conhecer qualquer lugar para poder falar mal ou bem depois, mas se já esteve por lá, sabe muito bem que não precisa voltar!

Caminito

As cores de Caminito

A única vantagem de ir até o bairro de La Boca, e poder visitar a Fundacion  PROA www.proa.org/esp , um centro cultural que fica na frente do rio Matanza. Infelizmente as salas de exposição estava em montagem e não tinha programação alguma, mas o belíssimo prédio que mescla um edifício neoclássico com arquitetura contemporânea vale subir até o café do terraço e de lá apreciar a linda vista sobre o rio Matanza! AH, e se você for fan de futebol ir até o museu do Estadio do Boca Juniores que fica na região, não foi nosso caso…

Vista do café da Fundacion PROA

E como agente estava de mini-férias afim de descansar e no hotel tinha um SPA delícia, corremos para lá e passamos o fim do dia na jacuzzi e na piscina aquecida e jantar no quarto do hotel, porque precisar num precisa, mas que um luxo as vezes é bom, isso é!

Buenos Aires deixou um gostinho de quero mais, e como é o destino internacional mais fácil e barato para os brasileiros, tenho certeza que sempre que der, vamos fugir para lá! Uma cidade ampla, limpa e o melhor, come-se MUITO bem por aqueles lados!

Serviços:

Onde ficar:

  • AXEL Hotel Buenos Aires – rede hoteleira européia 100% heterofriendly, ou seja, para não ter desentendidos, é um hotel gay! Peça o quarto com vista a piscina e desfrute do SPA da cobertura!

www.axelhotels.com/buenosaires

Onde comer:

  • UNIK – pelos lados do cool Palermo Viejo, mistura alta gastronomia a um ambiente de decoração moderna e clássicos do design vintage, vale a visita pelo espaço e pela comida que é divina! Vá jantar!

http://unik.pro

  • MERIDIANO 58  – simples, com mesinhas tipo sofá na rua, próximo a praça de Palermo Soho, peça a tábua vegetariana! Passamos na calçada e vimos as comidas na mesa e pensamos, é aí mesmo que vamos almoçar, o restô nos conquistou pelos olhos!

Jorge Luis Borges 1689 esq. El Salvador – Palermo Soho

  • LAS LILAS – para comer carne! Para comer uma boa carne! Fica localizado em Puerto Madero, fique numa das mesas da varanda e delicie-se com a carne no seu prato e com a vista! É do mesmo grupo do brasileiro Figueira Rubayat, mas com uma forma argentina de preparar a carne!

http://www.laslilas.com

Onde comprar:

  • GALERIAS PACÍFICO – centro comercial com lojas internacionais no centro antigo de BsAs, a visita vale tanto pelas lojas quanto pelo belíssimo prédio.

www.galeriaspacifico.com.ar

  • PAPELERA PALERMO – linda loja com todo tipo de papéis, e um pátio interno com jardim e um gazebo de vidro onde tem cursos de um tudo no mundo do papel

Cabrera 5227, Palermo

  • TIENDA PALACIO – lojinha de objetos para casa, presentes, bugigangas e tudo mais, daquela que você sempre sai com uma sacolinha na mão.

Honduras 5272 – Palermo

Pé na estrada novamente…

Um ano e 26 dias se passaram desde o início do “Fomos ver o Mundo”  e vamos coloca o pé na estrada novamente!

A viagem será curta e rápida, infelizmente 5 meses na estrada é para poucas vezes na vida, ou única, desta vez será um final de semana prolongado aqui do lado,  em Buenos Aires, e para não perder o costume, ou relembrar o costume, tínhamos de fazer um post e claro, depois um post no pós-viagem!

E lá vamos nós a capital do Tango…

#STBDiscover

O STB Student Travel Bureau, lançou uma promoção a procura de um viajante para alimentar o blog-site deles!

E claro, que me candidatei, afinal, o FOMOS VER O MUNDO foi uma incrível  experiência de 5 meses que eu ADORARIA continuar!

Para isso, entre no meu perfil da promoção e dê um LIKE no meu perfil!

Vai lá, ajuda o FOMOS VER O MUNDO a continuar a se aventurar pelo mundo agora em companhia com #STB!

http://www.embaixadorstb.com.br/discover/estilo.php?id=398

Inspiração!

Para os que como agente pediu demissão, juntou as moedinhas do porquinho e caiu na estrada, veja o vídeo desses 3 amigos que viajaram o mundo e com a seleção de imagens fizeram um trabalho lindo, emocionando, empolgante e claro, que dá vontade de arrumar as malas e sair descobrindo mais desse mundão…

A vigem rendeu outros 2 vídeos o EAT e o LEARN, sobre o que eles comeram e o que aprenderam por onde passaram, para assistir os outros clica aqui.

 

A viagem que virou decoração!

Um dos maiores desafios ao voltar ao Brasil foi encontrar uma casa nova! Uma tarefa um pouco chata eu diria, mas necessária pois o apartamento antigo estava pequeno demais para os 3 meninos.

Eu acredito muito em Deus e acho que ele nos guiou para o caminho certo, colocou uma opção de apto em nosso caminho  que ficamos encantados, mas confesso que a negociação e o fechamento do negócio deu um pouco de trabalho, foram idas e vindas durante uns 40 dias. Mas o que tem que ser seu, ninguem tira, Deus coloca em nossos caminhos as melhores oportunidades.

Hoje estamos a praticamente 1 mês em nossa casa nova, estamos amando cada pedacinho deste “Lar, doce Lar” e escrevo este post para contar para vocês que parte da nossa viagem que contamos neste Blog virou a decoração de um dos nossos comodos, o nosso escritório.

Selecionamos 23 mapas dos 51 destinos que passamos e montamos uma parede de mapas. Eu particularmente achei uma belezura pois além de achar bacana cada vez que entro aqui eu olho para um dos mapas e vou lembrando dos momentos da viagem!

Escritório: Parede com mapas da viagem